domingo, 27 de abril de 2008

Gatos e Gatas

< Tcheca-Nega, minha atual gata gordinha!


Certo dia, vi uma revista, na sua segunda página a confirmação de que nossos animais de estimação são anjos da guarda. Dizia também sentir coisas que na verdade era para nós sentirmos. Protegendo-nos da dor, dos medos. Diante disto o meu amor pelos animais cresceu ainda mais. É engraçado dizer, após a morte deles, nunca mais criar para não sofrer de novo. Isso é puramente mentira. E mesmo não querendo criar, eles aparecem para se juntar à família. Foi o que aconteceu comigo. Tive muitos gatos e gatas, sempre dei tudo para eles e até o que não tive de dar. Era muito carinhoso, porém a morte é inevitável. Uns vem outros vão e isso é normal. A maioria dos casos eram misteriosos, intrigando vizinhos e outros parentes distantes. Dei uma de detetive e fui à busca do assassino de Nina II. Veneno foi à substância fatal. Resultado: nunca encontrei o verdadeiro assassino. Antes desta, meu outro gato chamado Xeninho fora "comido" pelo cachorro do vizinho. Foi horrível presenciar a morte junto à perícia. Seus olhos azuis penetrantes nunca mais iriam abrir novamente.
Ed e Fred sumiram, Tigrão fora dado para uma vizinha, Xena largada por desobediência, Nina I fora levada embora por dar muitos filhotes (o que era uma dor de cabeça tremenda, tendo que catar todos os filhotinhos pela casa) e Xuxa, minha primeira gata, a gata mais diferente de todas. Por mais incrível que possa parecer ela me amava e isto estava escrito nela e não era por comida, era por amor. Não preciso duvidar disto. Desapareceu após ver Nina I na varanda da minha casa. Acredito eu, por causa de ciúmes.
Depois de todas essas despedidas tristes, eu jurei nunca mais olhar para um gato na minha vida. Não houve jeito... Um ou dois anos depois da fugida dos aloprados Fred e Ed apareceu Nina III, apelidada carinhosamente de Tcheca - Nega. O curioso é que na verdade ela não é minha gata. É a gata do vizinho. Como ela gostou mais da minha casa, não pude expulsá-la. Minha mãe enchia sua barriga de leite todos os dias e eu a enchia de carinhos. Oficialmente, agora é a minha gata mais gordinha e fofinha.

5 comentários:

Otaku disse...

é isso ae irmao... tu escreveu mt bem sobre os gatos que tivemos \o/... eu espero que a seca nega fique com noix pela eternidade /o

Carol disse...

Oiee Luucas !
Seu Blog tah um máxiimoo !
Parabéns ! =D

Sua gatiinha é mt Liindaa ! hauahau

Tdo de boom pra vc e q vc consigua realizar toddos os seus sonhooos !

Bjoooos !
Gostoo mt de tii amigoo !

XD

Lucila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucila disse...

Minha gata viveu 16 anos e duas semanas. Mindi era meu maior amor e se foi agora, dia 08. Espero que ela ainda seja meu anjo da guarda, porque nunca me abandonava e parecia até ler meus pensamentos, miando pra me distrair quando eu ficava triste ou aborrecida!